O candidato ideal para qualquer procedimento de cirurgia plástica é um paciente de boa saúde mental e física. Na cirurgia estética, há tempo suficiente para o paciente obter uma melhor saúde possível antes de realizar o procedimento, isso já não é um luxo para quem necessita da cirurgia plástica reconstrutiva, que, muitas vezes, acontece depois de um trauma ou acidente, que é imprevisto. Uma das condições previamente avaliadas é o Diabetes.

A diabetes é uma das doenças que mais afetam pessoas pelo mundo, na atualidade. Segundo a Organização Mundial da Saúde, o número de diabéticos quadruplicou em menos de 4 décadas, chegando a 422 milhões de pessoas.

Ela ocorre devido à elevada concentração de glicose no sangue, quando há defeitos na ação do hormônio insulina, que é produzido no pâncreas. Entre as principais causas estão o sedentarismo, a má alimentação com produtos industrializados e fatores genéticos.

Em cada tipo de diabetes – sendo as mais comuns tipo 1, tipo 2 e gestacional –, há uma série de complicações. Por conta disso, pessoas que possuem a doença acabam tendo que tomar diversos tipos de cuidados, não só na alimentação, mas também na hora de realizar uma cirurgia.

Uma pessoa com diabetes pode se submeter a uma cirurgia plástica estética, se ela tiver um rígido controle de seus níveis de glicose no sangue. Um bom controle dos níveis de glicose no sangue é determinado junto com a habitual carga de exames de sangue que vem antes de uma cirurgia plástica. Por isso, o cirurgião plástico sempre pede exames de sangue específicos para seus pacientes diabéticos. 

O endocrinologista deve ser informado do desejo de fazer a cirurgia plástica para decidir sobre o melhor momento para liberar o paciente para ser operado. Já na primeira consulta, o cirurgião plástico deve ser informado do tipo de diabetes, exames, e como está o controle da doença para estudar como será feita a cirurgia plástica e qual será o seu porte.

Vale lembrar que o período pós-operatório merece maior atenção em diabéticos. A cicatrização pode ser um pouco mais lenta, portanto se você é diabético e vai realizar uma cirurgia plástica, faça em período de férias do trabalho ou planeje um tempo que você terá no mínimo 2 a 3 meses de tranquilidade para realizar todo o processo – exames, cirurgia, cuidados pós-operatórios. Os pacientes diabéticos podem realizar a maioria das cirurgias estéticas com segurança, desde que o diabetes esteja bem controlado e eles sigam todos os cuidados pós-operatórios recomendados tanto pelo cirurgião plástico quanto pelo endocrinologista.

Muito cuidado com o uso de medicações hipoglicemiantes e o jejum para a cirurgia. A associação dos dois pode causar hipoglicemia (queda acentuada das taxas de glicose), o que pode ser muito perigoso e causar coma e lesões cerebrais. Pergunte ao seu médico exatamente como deve fazer em relação a isso.
É aconselhável que a cirurgia seja realizada de manhã, para diminuir o tempo de jejum.
Deve haver um controle mais intenso da glicemia no pós-operatório, principalmente daqueles que utilizam insulina.
Uma vez tomados todos esses cuidados, a cicatrização de pacientes diabéticos será bem semelhante à dos outros pacientes e os riscos estarão controlados.

Fontes: Uol / Lucio Gama / eduardofurlani.com.br/blog

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.