O crudivorismo ou alimentação viva (Raw Food) é uma filosofia alimentar em que a maior parte ou toda a dieta deve ser composta por alimentos não cozidos, sendo composta essencialmente por vegetais, sementes, brotos, grãos germinados, algas, cogumelos, frutas e sementes. Fundamenta-se os princípios de que a cocção dos alimentos (a partir de 40°C) pode destruir as enzimas presentes nos mesmos, diminuindo a capacidade nutritiva da alimentação. Logo, todas as preparações são principalmente cruas, desidratadas, germinadas, fermentadas ou aquecidas até a temperatura em que a mão consegue aguentar.

Vale lembrar que a germinação é um ótimo modo de preparo dos alimentos, pois elimina compostos que inibem enzimas (os chamados fatores anti-nutricionais, como o ácido fítico) e aumenta as enzimas digestivas, melhorando a digestão e absorção dos nutrientes.  Por incluir todos os vegetais, sementes germinadas, alimentos fermentados e orgânicos, a alimentação viva tem capacidade de fornecer uma gama de nutrientes a mais que a alimentação convencional. Além disso, o sistema digestivo funciona melhor, o sistema imune é reforçado e aumenta a atividade das vias de excreção de substâncias que podem ser tóxicas ao corpo.

Para muitos, se alimentar de alimentos crus sempre pode ser um grande desafio, porém podemos aumentar muito a porção dos alimentos não cozidos ou vivos!!!

Semente germinada no suco e broto na salada já é um ótimo passo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *