Experimente fazer esta pergunta numa reunião de amigos, numa festinha familiar e você descobrirá uma infinidade de opiniões distintas e até contraditórias.

Beleza é um conceito tão amplo e democrático que jamais conseguirá unanimidade, pois está ligada tanto aos aspectos culturais quanto aos olhos de quem a enxerga.

O que é belo para uns, pode ser ridículo ou abominável para outros.

Sabia que em algumas sociedades a obesidade feminina é sinal de riqueza e de amor, pois o marido é rico, ela não precisa trabalhar, fica em casa comendo e também porque quanto maior a mulher, maior o lugar que ela ocupa no coração de seu amado?

Em outras, argolas imensas nos lábios deformados pelo alargamento, fazem parte do ritual de passagem e símbolo de status da mulher. Existem ainda inúmeros casos de fetiches por pés, orelhas, joelhos e outras partes do corpo humano que não consideramos como atraentes.

Estranho? Esquisito? Nem tanto!

Para a maioria de nós, mulheres que pertencem ao mundo ocidental real e que sabemos de cor nossos detalhes de imperfeição, estamos sempre lembrando daquilo que está demais ou aquilo que se tivéssemos a mais faria toda a diferença, lidar com as altas exigências de uma sociedade que se deleita com feições impecáveis, formas irretocáveis e corpos esculturais pode gerar frustração e desleixe por não se encaixar no padrão do imaginário coletivo ou ainda redundar numa frenética busca irracional em se tornar um alguém que jamais poderá ser.

Somos seres únicos e nossa beleza pessoal se traduz por um conjunto de formas estéticas harmonizadas com a essência da alma e do espírito.

Cuidar-se, gostar-se, embelezar-se, tratar-se, divertir-se, perdoar-se, fazem parte de um todo que produz efeito encantador.

Aprimore o que acha que lhe proporcionará mais elegância e suavidade; melhore o que incomoda aos olhos ou ao toque; retoque aquela pequena falha ou o desgaste do tempo; Use de pequenos cuidados diários para manter a pele viçosa; Capriche na higiene; Arrume-se, sempre, para você mesma e para o outro; Resgate aquele velho ditado: “Quem não se enfeita, por si se enjeita”.

Olhe-se no espelho e admire a pessoa que você é.

Realce o que você tem de diferente, de exótico, de atraente.

Alimente sua autoestima!

Seja bela, de fato!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.