Manter uma barriga lisinha e livre daquelas gordurinhas extras é o sonho de muitas, mas privilégio de poucas.

Mesmo com a prática de exercícios e uma dieta regrada, a tarefa não é tão fácil assim.

Às vezes, a cirurgia plástica é a única forma de definir a barriga.

Se esse for o caso, a dúvida que fica é em relação a qual procedimento deve ser adotado: lipoaspiração no abdômen ou abdominoplastia?

Muitas pacientes levam em consideração critérios subjetivos na hora de escolher a cirurgia, como cicatriz ou período de recuperação. É claro que esses fatores são importantes, mas não são decisórios. Os principais aspectos que devem ser considerados são a condição física e clínica da paciente. Isso porque, embora ambas as cirurgias removam gordura da região abdominal, cada uma tem seus próprios objetivos.

A lipoaspiração é ideal para secar as gordurinhas extras, mas só a abdominoplastia consegue acabar com a flacidez.

A lipoaspiração e a abdominoplastia são as intervenções mais indicadas. As duas têm como finalidade acabar com o excesso de gordura e melhorar o contorno corporal, mas possuem algumas diferenças cruciais.

A principal delas é que a abdominoplastia clássica consegue retirar parte da flacidez cutânea enquanto a lipoaspiração não consegue tal intento e pode até acentuar o excedente de pele em algumas pacientes.

A lipoaspiração tem como finalidade a remoção de acúmulo de gordura em locais ou em volumes indesejados. É o procedimento ideal para pacientes jovens, que não passaram por gestações e não apresentam flacidez cutânea.

Já a abdominoplastia, envolve um trabalho funcional em que a musculatura do abdômen pode ser reaproximada devolvendo a firmeza da parede abdominal. É indicada para aquelas pacientes que perderam muito peso ou que já passaram por gestações e sofrem com a flacidez.

A lipoaspiração é perfeita para acabar com a gordura localizada e redefinir o contorno corporal principalmente quando utilizamos esta gordura para, por exemplo, aumento dos glúteos (lipoescultura), porém, ela não consegue eliminar as gordurinhas que estão abaixo dos músculos (isso somente com o emagrecimento).

Algumas mulheres optam pela abdominoplastia com o objetivo de redefinir a silhueta e acabar com a barriga flácida, mas após a cirurgia muitas reclamam da cicatriz grande que permanece na parte inferior do abdômen e que fica visível dependendo da roupa utilizada. Já a lipo deixa cicatrizes bem menores.

Abdominoplastia consiste na retirada do excesso de pele, da gordura local e do reposicionamento do músculo reto abdominal que permanece com as bandas afastadas após gestações geralmente.

Por mais que tentemos reposicionar este músculo com a prática de atividade física isso não será mais possível, este permanecerá com a diástase muscular (afastamento) que somente será corrigida com a plicatura (pontos) do mesmo.

Assim conseguimos ficar com um abdômen definido e sem flacidez.

Lembro a vocês que pacientes que ainda não possuem filhos e que desejam engravidar somente poderão realizar este procedimento se forem ex-obesas, pois engravidar após abdominoplastia pode causar o aparecimento de estrias, dor na gestação além de perder o resultado do procedimento.

Atualmente realizo com grande frequência a associação dos dois procedimentos, pois quando a retirada de gordura é muito grande na lipoaspiração, as sobras de pele do abdômen só podem ser corrigidas por meio da abdominoplastia. Em alguns casos, a paciente opta pelas duas cirurgias para obter o contorno do corpo desejado. A junção dessas duas técnicas é denominada de lipoabdominoplastia.

Quanto aos cuidados, os dois procedimentos cirúrgicos não se diferenciam muito.

Para ambas as intervenções são necessários os mesmos exames pré operatórios e pelo menos dois meses de restrição à exposição solar e uso de cinta após a cirurgia. Na abdominoplastia a restrição de atividade física é mais vigorosa por tempo mais longo para preservar o processo de cicatrização.

Portanto, a escolha entre lipoaspiração e abdominoplastia depende das características de cada paciente e somente após uma avaliação posso emitir uma opinião e indicar uma das duas, ou até mesmo as duas em conjunto.

 

IMPORTANTE RESSALTAR QUE NADA PODE SUBSTITUIR UMA AVALIAÇÃO MÉDICA, APENAS CONSIDERAMOS ALGUNS CENÁRIOS COM O OBJETIVO DE ESCLARECER ALGUNS PROCEDIMENTOS.

24
mar

Postado por:

A possibilidade da real existência de um remédio conhecido como “pílula rosa” ou “Viagra feminino”, ainda não foi aprovado pelos órgãos de competência ao redor do mundo (OMS).

A busca por alternativas para as disfunções sexuais femininas e o empenho pela procura de tratamentos, é pauta polêmica e atual.

flibaserina_02O Viagra, descoberto há 17 anos, ainda não tem um correspondente direto para as mulheres.

A atuação deste novo composto (flibaserina) seria uma droga não-hormonal desenvolvida para ser um antidepressivo, que atuaria no cérebro e não na região pélvica.

Será que o cerne de nossa sexualidade estaria agora, comprovadamente, na nossa subjetividade?

Só corrobora a velha máxima de que as mulheres precisam de mais envolvimento emocional e desejo para obter prazer, que vai muito além do sensorial e visual.

Mulheres podem ter relações sexuais sem libido, os homens não. Mulheres e homens possuem organismos distintos, logo, com respostas sexuais diferentes.

A libido se mostra diferente durante os ciclos e as fases da vida da mulher, e também de acordo com a individualidade das mesmas.

Sendo a vida sexual um movimento de saúde de nosso corpo, deve receber atenção e a importância devida, e falar sobre ela pode lhe fazer bem!

E enquanto o medicamento não é aprovado e seu uso simplificado, os recursos sugeridos para a disfunção sexual feminina são a psicoterapia e o uso de hormônios.

Beijos e até logo,

Luiza!

flibaserina_03

Desde que realizada de maneira adequada, por um profissional competente e com técnicas modernas, não há qualquer impacto na amamentação.

Atualmente existem vários trabalhos que demonstram que pacientes com implantes tem a mesma capacidade de amamentar que as pacientes que não os possuem.

A época ideal para esta cirurgia é após completar a puberdade e ter o desenvolvimento completo da mama, respeitando a idade mínima de 18 anos.

Nem mesmo com o consentimento dos responsáveis o cirurgião plástico poderá realizar este procedimento em menores de idade.

Na opção por próteses pequenas ou médias, a gestação e a amamentação tem pouco efeito sobre o resultado estético.

Já na opção por próteses maiores, é aconselhável a cirurgia após a gestação.

O importante é dizer que, independente da incisão (cicatriz), a prótese não interfere na produção do leite e na lactação, uma vez que a glândula não é manipulada e os ductos mamários ficam intactos.

A otoplastia cria uma forma natural, dando equilíbrio e proporção às orelhas e à face. Correção de deformidades menores pode beneficiar a aparência e a autoestima.

Corrige a orelha de abano, reconstrói orelhas lesionadas ou mal desenvolvidas, corrige o lóbulo da orelha danificado ou envelhecido, diminui a projeção das orelhas e refaz a antihélice.

A incisão costuma ficar na região posterior do pavilhão auricular e a cartilagem é remodelada com pontos, incisões ou raspagem.

Pode ser executada a partir dos sete anos de idade. É também justamente nesta idade que a criança começa a se importar com as características das orelhas. A decisão de submeter uma criança à otoplastia deve levar em consideração o grau de sofrimento emocional por causa das orelhas (Bullying).

É frequentemente executada em adolescentes e adultos, porém, é importante saber que a orelha de um adulto não tem a mesma capacidade de reformulação como a orelha de uma criança.

A anestesia empregada é, normalmente, a local com uso de sedação.

O paciente permanece no hospital no máximo por um dia.

Em geral, a recuperação do procedimento é tranquila e seu resultado é bastante satisfatório.

A cicatriz fica escondida atrás da dobra natural da orelha.

Cerca de 80% do resultado definitivo pode ser visto em poucas semanas de pós operatório e o término do processo cicatricial leva cerca de seis meses.

A otoplastia é um procedimento bastante funcional para a vida dos pacientes, isso porque a autoestima e a confiança acerca da estética da orelha são conquistadas a partir de seus resultados.

Antes usada apenas na oftalmologia e na neurologia, a toxina botulínica vem sendo utilizada para fins estéticos há mais de 10 anos.

Adultos estão vivendo mais do que nunca. Sentimo-nos vitais, somos ativos e queremos que nosso corpo espelhe a mente e o coração jovens.

A toxina botulínica é uma das substâncias mais importantes no campo do rejuvenescimento facial. Parecida com o lifting cirúrgico, esta substância é a forma mais popular de redução de rugas faciais.

Sorrir, franzir a testa, apertar os olhos e até a mastigação, basicamente, qualquer movimento facial pode, eventualmente, levar aos sinais mais comuns de envelhecimento: rugas.

As rugas fazem você parecer cansado ou até irritado quando não está. Uma das soluções mais rápidas e mais seguras para remover as rugas é a injeção de toxina botulínica.

A toxina botulínica do tipo A é uma substância purificada, derivada a partir de uma bactéria.

A injeção dessa substância bloqueia os sinais nervosos musculares, enfraquecendo o músculo de modo que não se contraia, diminuindo as rugas faciais indesejadas. A toxina botulínica pode ser combinada com demais procedimentos cosméticos da pele tais como peelings químicos, preenchimentos dérmicos ou microdermoabrasão para melhorar, ainda mais, os resultados.

Esta combinação de terapias pode, ainda, ajudar a prevenir a formação de novas linhas e rugas.

A aplicação da injeção de toxina botulínica pode parecer um procedimento simples para você, já que se resume em apenas algumas picadas. Mas, na verdade, é uma arte e ciência que só um experiente profissional de saúde deve realizar.

Há 43 músculos na face e é vital que a pessoa que aplica as injeções de toxina botulínica entenda e identifique os pontos corretos para otimizar seu tratamento.

Uma agulha muito fina é usada para injetar pequenas quantidades de toxina botulínica em músculos específicos. Escolho, cuidadosamente, os músculos específicos, enfraqueço, apenas, os músculos produtores de rugas, preservando suas expressões faciais. A aplicação da injeção de toxina botulínica geralmente leva menos de 15 minutos. O número de injeções que você precisará irá depender de vários fatores, incluindo as suas características faciais e a extensão de suas rugas. Pés de galinha, por exemplo, exigem geralmente 2-3 injeções. Sulcos acima da sobrancelha podem precisar de cinco ou mais injeções.

Não há tempo de repouso ou de recuperação. Os resultados são notados dentro de alguns dias, no entanto, pode demorar até uma semana para se ter o efeito completo.

Antes da aplicação eu uso uma pomada anestésica para maior conforto de meus pacientes.

A duração do efeito da toxina botulínica é de cerca de seis meses. Para manter os resultados, é preciso reaplicar o produto.

Botox_03

ATENÇÃO: Em mãos erradas ou inexperientes, a toxina botulínica torna-se um perigo. Além de procurar por um médico treinado e qualificado em cirurgia plástica, certifique-se de que o profissional tem experiência específica com estes tipos de procedimentos.

Hipertensão_03

São muitas as dúvidas que passam pela cabeça dos hipertensos mas, certamente, uma das mais cruciais é poder ou não se submeter a uma cirurgia plástica.

Sim, pacientes com hipertensão controlados podem ser submetidos a toda e qualquer cirurgia, não só as plásticas, desde que estejam fazendo os tratamentos adequados e acompanhamento regular com seus médicos.

Sua pressão arterial estando controlada e seus exames pré-operatórios nas condições necessárias, você estará apto a se submeter a uma cirurgia plástica com toda segurança.

Existe uma lista de critérios que definem o risco cirúrgico, os quais serão avaliados pelo cardiologista no exame pré-operatório, juntamente com os demais exames laboratoriais.

Toda cirurgia, independente de plástica ou não, tem algum risco.

Por isso, uma avaliação pré-operatória de qualidade, uma equipe de médicos e enfermeiras competentes e uma boa estrutura hospitalar, são fundamentais para a realização do procedimento em segurança.

Hipertensão_05