A gluteoplastia de aumento do bumbum é uma cirurgia para remodelar e moldar a região glútea e vem despertando o interesse da mulherada!

Conhecida também como plástica no bumbum, realiza um sonho: glúteos durinhos, sem flacidez e sempre para cima.

Nos últimos anos, o número de gluteoplastias vem crescendo com frequência, sem dúvidas, e a Silimed (maior produtora de prótese do Brasil) não divulga o fator real de crescimento em sua produção, só diz estar feliz com o aumento expressivo.

A cirurgia que visa remodelar a região glútea, consiste em incluir uma prótese de silicone nos glúteos, melhorando a flacidez e dando volume para a região.

A plástica no bumbum permite três tipos de próteses: redondas (para dar mais volume à região superior das nádegas, principalmente), quartzo (para pessoas altas e com nádega longa) e ovais (para aumentar as nádegas lateralmente também).

As próteses são feitas de gel coesivo, com tamanhos entre 150 ml e 480 ml, dimensões que devem atender o padrão corpóreo da paciente e seu desejo.

O tipo de glúteo mais procurado é o formato redondo e empinado. A prótese mais pedida é a redonda, pois a maioria das pacientes tem a região do quadril estreita. Isso explica a busca para o volume na região superior das nádegas.

Depois da cirurgia é indicado o repouso pós-operatório, que é fundamental. O pós-operatório bem feito diminui a incidência de complicações como sangramentos, deiscência (abertura) de cicatriz e deslocamento das próteses.

A limpeza criteriosa do local da incisão é importante para diminuir ao máximo o aparecimento de infecção da cicatriz, que é mais frequente do que em outras cirurgias, pela proximidade ao ânus.

Também se devem evitar movimentos bruscos na região, preferir caminhadas curtas em até dez dias e dormir de barriga para baixo neste período.

O lifting facial é a terceira cirurgia mais realizada no Brasil, só perde para as cirurgias de aumento de mama e lipoaspiração.

Ela tira o ar de cansaço e rejuvenesce, por isso, é o sonho de muitas mulheres e homens.

Com o passar dos anos, a pele tende a perder a firmeza original e começa a apresentar traços de flacidez.

O envelhecimento da face é um processo que age diretamente e duramente na autoestima. Invariavelmente todos se olham no espelho alguma hora do dia ou da noite e principalmente em fotos antigas, fazendo com que se sinta saudade da jovialidade perdida, visualizada pelas marcas de expressão, sejam dinâmicas ou não e por áreas que perderam a consistência, a firmeza.

Uma das principais razões para isso é a diminuição da produção de colágeno e a consequente perda de elasticidade desse tecido do corpo. Mas, assim como o envelhecimento age na tentativa de nos pregar armadilhas, a cirurgia plástica age na busca por alternativas para driblá-las e, sem dúvida, uma das mais eficientes é o lifting.

A flacidez e a queda da face podem ser recuperadas com o procedimento, porém, não existe nenhuma melhoria da qualidade de pele em relação a manchas, sinais ou de efeitos nocivos provocados pelo sol.

Em geral, se indica a cirurgia a partir dos 45 anos, porém há casos de grandes perdas de peso em que a cirurgia pode ser indicada pelo menos 10 anos antes. O limite superior vai estar mais atrelado à saúde que propriamente à idade.

018b

Como qualquer outra cirurgia, é necessário fazer todos os exames pré operatórios.

No dia anterior à realização do procedimento, o ideal é que o paciente lave o cabelo sem fazer uso de hidratantes ou qualquer gel de fixação.

No caso dos pacientes que pintam os cabelos, é recomendado fazer uso da tintura até três dias antes da operação; após o procedimento só é possível voltar a tingir os fios depois de três semanas.

Existem inúmeras técnicas utilizadas no lifting. A escolhida vai depender da necessidade do paciente, mas, em geral, são feitos cortes pequenos em determinados pontos do rosto, principalmente próximos às orelhas, através dos quais reposicionamos a musculatura e depois colocamos a pele de volta no lugar. Isso garante que a pele não fique com aquele ar “repuxado”, mas sim com um ar mais descansado, parecendo mais nova mesmo.

A anestesia utilizada é geral, e a internação é de 24 horas.

Entre o quinto e o 15º dia após a cirurgia é possível retirar os pontos. Recomenda-se retornar às atividades rotineiras apenas depois de duas semanas.

É importante que o paciente mantenha a cabeça elevada enquanto estiver deitado, porque isso diminui o inchaço pós-operatório e evita incômodos durante o processo de recuperação. Para aliviar o inchaço também podem ser feitas compressas de água fria.

Nos primeiros 30 dias que sucedem a cirurgia, é necessário evitar exposições ao sol. O uso de protetor solar deve ser feito diariamente.

Sessões de drenagem linfática facial aceleram a recuperação do processo inflamatório e diminuem o inchaço e possíveis hematomas oriundos da cirurgia.

Envelhecer ainda é um tabu para todos, porém por que não o fazer com “dignidade”?

É o que a cirurgia plástica moderna oferece.

Queridas gostaria de mostrar para vocês os chocolates personalizados pelo estilista Italiano Roberto Cavalli.

Sempre lançando tendências com estampas e muita ousadia, Roberto Cavalli está com uma linha luxo de chocolates para essa Páscoa!

Além de ter uma embalagem belíssima, o chocolate é incrivelmente trabalhado com cores texturas!

A única coisa que não é tão linda nesse ovo de Páscoa é o preço de 49 euros (cerca de R$ 150,00).

Outro detalhe é o local onde os chocolates são vendidos, já que quem quiser comprá-los terá que viajar até a cidade de Florença na Itália, e visitar o Caffè Giacosa, de propriedade do estilista.

Mas vale a pena conhecer!

Até porque o Caffé é um charme!

Faz parte do roteiro cultural e dos encantos da Itália!

Roberto Cavalli_Montagem

Manter uma barriga lisinha e livre daquelas gordurinhas extras é o sonho de muitas, mas privilégio de poucas.

Mesmo com a prática de exercícios e uma dieta regrada, a tarefa não é tão fácil assim.

Às vezes, a cirurgia plástica é a única forma de definir a barriga.

Se esse for o caso, a dúvida que fica é em relação a qual procedimento deve ser adotado: lipoaspiração no abdômen ou abdominoplastia?

Muitas pacientes levam em consideração critérios subjetivos na hora de escolher a cirurgia, como cicatriz ou período de recuperação. É claro que esses fatores são importantes, mas não são decisórios. Os principais aspectos que devem ser considerados são a condição física e clínica da paciente. Isso porque, embora ambas as cirurgias removam gordura da região abdominal, cada uma tem seus próprios objetivos.

A lipoaspiração é ideal para secar as gordurinhas extras, mas só a abdominoplastia consegue acabar com a flacidez.

A lipoaspiração e a abdominoplastia são as intervenções mais indicadas. As duas têm como finalidade acabar com o excesso de gordura e melhorar o contorno corporal, mas possuem algumas diferenças cruciais.

A principal delas é que a abdominoplastia clássica consegue retirar parte da flacidez cutânea enquanto a lipoaspiração não consegue tal intento e pode até acentuar o excedente de pele em algumas pacientes.

A lipoaspiração tem como finalidade a remoção de acúmulo de gordura em locais ou em volumes indesejados. É o procedimento ideal para pacientes jovens, que não passaram por gestações e não apresentam flacidez cutânea.

Já a abdominoplastia, envolve um trabalho funcional em que a musculatura do abdômen pode ser reaproximada devolvendo a firmeza da parede abdominal. É indicada para aquelas pacientes que perderam muito peso ou que já passaram por gestações e sofrem com a flacidez.

A lipoaspiração é perfeita para acabar com a gordura localizada e redefinir o contorno corporal principalmente quando utilizamos esta gordura para, por exemplo, aumento dos glúteos (lipoescultura), porém, ela não consegue eliminar as gordurinhas que estão abaixo dos músculos (isso somente com o emagrecimento).

Algumas mulheres optam pela abdominoplastia com o objetivo de redefinir a silhueta e acabar com a barriga flácida, mas após a cirurgia muitas reclamam da cicatriz grande que permanece na parte inferior do abdômen e que fica visível dependendo da roupa utilizada. Já a lipo deixa cicatrizes bem menores.

Abdominoplastia consiste na retirada do excesso de pele, da gordura local e do reposicionamento do músculo reto abdominal que permanece com as bandas afastadas após gestações geralmente.

Por mais que tentemos reposicionar este músculo com a prática de atividade física isso não será mais possível, este permanecerá com a diástase muscular (afastamento) que somente será corrigida com a plicatura (pontos) do mesmo.

Assim conseguimos ficar com um abdômen definido e sem flacidez.

Lembro a vocês que pacientes que ainda não possuem filhos e que desejam engravidar somente poderão realizar este procedimento se forem ex-obesas, pois engravidar após abdominoplastia pode causar o aparecimento de estrias, dor na gestação além de perder o resultado do procedimento.

Atualmente realizo com grande frequência a associação dos dois procedimentos, pois quando a retirada de gordura é muito grande na lipoaspiração, as sobras de pele do abdômen só podem ser corrigidas por meio da abdominoplastia. Em alguns casos, a paciente opta pelas duas cirurgias para obter o contorno do corpo desejado. A junção dessas duas técnicas é denominada de lipoabdominoplastia.

Quanto aos cuidados, os dois procedimentos cirúrgicos não se diferenciam muito.

Para ambas as intervenções são necessários os mesmos exames pré operatórios e pelo menos dois meses de restrição à exposição solar e uso de cinta após a cirurgia. Na abdominoplastia a restrição de atividade física é mais vigorosa por tempo mais longo para preservar o processo de cicatrização.

Portanto, a escolha entre lipoaspiração e abdominoplastia depende das características de cada paciente e somente após uma avaliação posso emitir uma opinião e indicar uma das duas, ou até mesmo as duas em conjunto.

 

IMPORTANTE RESSALTAR QUE NADA PODE SUBSTITUIR UMA AVALIAÇÃO MÉDICA, APENAS CONSIDERAMOS ALGUNS CENÁRIOS COM O OBJETIVO DE ESCLARECER ALGUNS PROCEDIMENTOS.

24
mar

Postado por:

A possibilidade da real existência de um remédio conhecido como “pílula rosa” ou “Viagra feminino”, ainda não foi aprovado pelos órgãos de competência ao redor do mundo (OMS).

A busca por alternativas para as disfunções sexuais femininas e o empenho pela procura de tratamentos, é pauta polêmica e atual.

flibaserina_02O Viagra, descoberto há 17 anos, ainda não tem um correspondente direto para as mulheres.

A atuação deste novo composto (flibaserina) seria uma droga não-hormonal desenvolvida para ser um antidepressivo, que atuaria no cérebro e não na região pélvica.

Será que o cerne de nossa sexualidade estaria agora, comprovadamente, na nossa subjetividade?

Só corrobora a velha máxima de que as mulheres precisam de mais envolvimento emocional e desejo para obter prazer, que vai muito além do sensorial e visual.

Mulheres podem ter relações sexuais sem libido, os homens não. Mulheres e homens possuem organismos distintos, logo, com respostas sexuais diferentes.

A libido se mostra diferente durante os ciclos e as fases da vida da mulher, e também de acordo com a individualidade das mesmas.

Sendo a vida sexual um movimento de saúde de nosso corpo, deve receber atenção e a importância devida, e falar sobre ela pode lhe fazer bem!

E enquanto o medicamento não é aprovado e seu uso simplificado, os recursos sugeridos para a disfunção sexual feminina são a psicoterapia e o uso de hormônios.

Beijos e até logo,

Luiza!

flibaserina_03

Desde que realizada de maneira adequada, por um profissional competente e com técnicas modernas, não há qualquer impacto na amamentação.

Atualmente existem vários trabalhos que demonstram que pacientes com implantes tem a mesma capacidade de amamentar que as pacientes que não os possuem.

A época ideal para esta cirurgia é após completar a puberdade e ter o desenvolvimento completo da mama, respeitando a idade mínima de 18 anos.

Nem mesmo com o consentimento dos responsáveis o cirurgião plástico poderá realizar este procedimento em menores de idade.

Na opção por próteses pequenas ou médias, a gestação e a amamentação tem pouco efeito sobre o resultado estético.

Já na opção por próteses maiores, é aconselhável a cirurgia após a gestação.

O importante é dizer que, independente da incisão (cicatriz), a prótese não interfere na produção do leite e na lactação, uma vez que a glândula não é manipulada e os ductos mamários ficam intactos.