A noção de que o corpo humano pode ser moldado como uma espécie de massa de modelar é das maiores armadilhas atuais que a nossa sociedade anda produzindo. A proliferação de bonecas humanas, ou de sósias de celebridades pode ser tida como uma questão patológica da nossa época
constatada pela mídia. As notícias e fotos destas metamorfoses inundam a internet e tem sido cada vez mais rotineiras. Homens e mulheres tem gasto verdadeiras fortunas para tentar conseguir o inatingível, se transformar em outra pessoa.

A Dismorfia Corporal ou a Síndrome da Distorção da Imagem é um termo usado para diferenciar o que a pessoa acredita ser e o que ela realmente é, ocorre em ambos os sexos e geralmente começa no fim da adolescência e no início da fase adulta.

Vem acompanhada de insatisfações obsessivas com o corpo, depressões graves, incapacitação ocupacional, e problemas para se relacionar socialmente. Sendo o transtorno psicológico caracterizado pelo fato de que, o indivíduo apresenta crenças que possui defeitos físicos inexistentes, e principalmente: quer realizar procedimentos cirúrgicos que não são indicados, e podem ser extremamente perigosos ao organismo como um todo. A epidemia gerada pela busca interminável da perfeição é real.Muitas vezes é confundida com a preocupação constante com a aparência, o que dificulta o seu diagnóstico inclusive.

Mulheres vaidosas que querem sempre estar bem, com o corpo e a mente sã, não representam tal distúrbio, pois simplesmente querem continuar sendo elas mesmas, só que com algumas correções estéticas. Perfeitamente saudável não é?!
O corpo humano tem limites. Melhorar o que já temos é sempre muito bom pra autoestima. Não existe receita de beleza que seja igual para todos, pelo fato de que muitas vezes, são as nossas diferenças que ressaltam e brilham aos olhos do outro…

Cerque-se de profissionais responsáveis e bem habilitados para fazer qualquer procedimento! Essa é uma das fórmulas para conquistar sua melhor forma de beleza!

Até logo, beijos!

Luiza.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.