Eu e meu marido estamos fazendo um tour pela Alemanha, percorrendo de carro a região compreendida entre Berlim e Munique.

Viagem há muito desejada!

Mas em lugar de comentar sobre as maravilhas dos pontos turísticos, os divertidos passeios ou a deliciosa gastronomia, decidi escrever sobre um tema que tem estado presente a todo momento, levando-me a refletir sobre sua ligação com o comportamento humano.

Dentre as cidades incríveis que conhecemos até agora, algumas delas foram quase aniquiladas pelos bombardeios das tropas aliadas nos meses que antecederam a rendição dos países do eixo.

Destruição severa!

Séculos de história, tradição e cultura viraram escombros em pouco tempo ou mesmo em questão de poucas horas.

Admirando as fotos da época, expostas por onde quer que se vá, é quase inacreditável que aquele cenário de destruição se trate do mesmo lugar lindo, organizado e imponente que hoje visitamos.

E assim, esta se tornou a viagem em que a palavra RECONSTRUÇÃO foi a nossa mais constante companhia.

Teia_Dresden

Cidades como Dresden, Weimar, Nuremberg que nas últimas décadas foram reconstruídas de forma quase fidedigna àquilo que foram um dia, em todo o seu esplendor, reergueram prédios históricos, palácios, parques, castelos e igrejas trouxeram de volta não só o espaço físico, como também restauraram a dignidade da população civil que, como sempre, sofre os efeitos e paga as consequências dos desmandos de seus governantes.

Teia_Weimar

As cidades alemãs visitadas, assim como inúmeras outras existentes ao redor do mundo, nos dão o significativo exemplo de que é possível superar a dor sem enterrar o passado. Pelo contrário. Fizeram questão de recuperá-lo e deixá-lo exposto, mostrando a todos que suas vidas nem sempre foram sofridas. Apenas foram esfaceladas por um episódio terrível e doloroso.

Teia_Nuremberg

Além disso, o fato de o passado estar ali, visível, palpável, lhes dá a oportunidade de sempre enxergar e vigiar para que os erros cometidos no ontem, não se repitam no hoje.

Outra característica perceptível pelas ruas por onde se passa, é a presença constante da arte, em suas mais diversas manifestações. A superação do sofrimento penoso buscando o auxílio luxuoso na música, dança, design, pintura ou teatro. A aceitação de que o viver é prazeroso, através da purificação da alma.

Esta, queridos leitores e leitoras, foi a leitura particular que fiz de uma magnífica viagem turística e saibam que, de tudo o que vimos, ouvimos, aprendemos, comemos e nos divertimos, o melhor, sem sombra de dúvida, foi poder reforçar minha fé na incrível capacidade que o ser humano possui de se reinventar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *