Uma dúvida muito comum em relação à cirurgia plástica diz respeito exatamente ao local onde o procedimento deve ser realizado. Melhor fazer em uma clínica ou em um hospital?

É comum vermos em artigos o uso da palavra “clínica” e “hospital” como se fossem sinônimas. Mas quando o assunto é cirurgia plástica, há diferenciações e recomendações médicas para realizar a mesma. O local onde o cirurgião plástico decide fazer a cirurgia depende do tipo de procedimento a ser realizado e do estado de saúde do paciente.

A infraestrutura do hospital é ideal por diversos motivos. Um deles é a constante e rígida fiscalização da Vigilância Sanitária. Além disso, os hospitais recebem seus materiais cirúrgicos de fornecedores credenciados. Uma vez que a fiscalização em clínicas não é tão rigorosa como em hospitais, não há garantias de que os instrumentos cirúrgicos foram devidamente esterilizados.

Cada pessoa tem um organismo e pode apresentar uma reação diferente ao procedimento. Embora seja difícil, é possível ocorrer complicações ligadas à anestesia ou ao tipo de cirurgia plástica já que algumas são mais delicadas e requerem cuidados.

Além destes fatores, outro ponto importante é o nível de recuperação de cada paciente, que pode ser variável. Há pacientes que se recuperam rápido e podem ter alta no mesmo dia em que o procedimento foi feito, dependendo do porte (tamanho) da cirurgia. Mesmo em cirurgias de menor porte, o paciente pode precisar passar uma noite ou mais no hospital para apresentar condições seguras de receber alta. Em cirurgias maiores, a regra é passar, no mínimo, uma noite no hospital em observação.

Sendo assim, a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP) recomenda que a cirurgia plástica seja realizada em hospitais e não em clínicas.
A clínica pode ser útil e confortável para um paciente realizar pequenos procedimentos estéticos que utilizem apenas anestésico tópico como os procedimentos de remodelação facial (preenchimentos e aplicações de toxina botulínica), peelings, retirada de pequenas pintas e de pequenos tumores de pele ou ainda alguma pequena correção de cicatriz.

Por isso é muito importante procurar um cirurgião de confiança. Vá atrás de informações sobre a formação do profissional antes de se submeter a qualquer tipo de procedimento. A legislação brasileira permite que, depois de concluir o curso regular de seis anos, o médico realize qualquer procedimento, por isso, cheque se o profissional tem registro na Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), única entidade no Brasil que pode certificar médicos na área, atestando que cumpriram dois anos de residência em cirurgia geral e mais três na plástica.

Fontes: SBCP / Master Health / Dr. Daniel Borges Plástica / http://www.maisequilibrio.com.br/saude / https://boaforma.abril.com.br/saude / https://www.plasticadosonho.com.br/blog

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.