Queridas leitoras, depois de uma breve pausa por conta de um curso de reciclagem na área de Terapia Familiar no Instituto Ackerman de Terapia Familiar na Big Apple. Retorno a vocês, queridos leitores, com muitos posts recheados de novidades.

No nosso post de hoje, trarei um tema muito interessante ao nosso universo feminino, ainda em homenagem a esse mês de Março que é o mês da mulher.

Então vamos lá!!!!

A relação homem/mulher é marcada por muitos paradoxos, e um deles é a grande questão: Homens e Mulheres são iguais, mas são também muito diferentes um do outro.

O homem, de modo geral, esse está mais inclinado ao universo público e ao mundo externo: busca dominar, conquistar, exteriorizar; a mulher por outro lado, está direcionada a interioridade e ao mundo interno: deseja cuidar, internalizar, sentir, tocar, conectar-se, amar, pessoalizar.

Os comportamentos assumidos por homens e mulheres possuem componentes biológicos, sociais e culturais. A filósofa existencialista Simone Beauvoir formulou a tese de que mulher não nasce mulher, mas é feita mulher como tal, por condicionamentos sócios culturais. Já a psicanálise irá propor que, a identidade sexual e a diferença entre os sexos, são resultados de um processo: o processo de subjetivação. Ao longo do desenvolvimento psicossexual, a criança vai se identificando com os modelos que lhe são oferecidos. A trama familiar vai constituindo o sujeito, que passa a internalizar sua sexualidade a partir do complexo de Édipo.

É a partir da compreensão das diferenças que crescemos como pessoas que somos. É na relação com o outro diferente que adquirimos novas percepções e novos insights. Quando eu me fecho para o olhar e para percepção do outro, o meu mundo diminui e se reduz. Homens e Mulheres:

1 – Estruturam-se psiquicamente de modo diferente.

2 – Pensam e possuem percepções diferentes.

3 – Possuem reações e comportamentos diferentes.

4 – Processam informações de modo diferente.

5 – Possuem reações e valores diferentes.

Compreende-se, então, que o elemento anatômico não é suficiente para discriminar a sexualidade no inconsciente. As diferenças entre homens e mulheres, estão além de componentes culturais e biológicos, possuem, então, um componente estrutural, que se dá pela via da sexuação, que se processa por vias e caminhos muito diferentes em homens e mulheres.

Bjs e até o próximo post!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.