Queridas leitoras, em nosso post de hoje, em comemoração a um ano da minha coluna aqui no nosso BlogFv, estaremos com a presença de uma grande escritora que compartilhará conosco como foi o processo de gestação de sua obra prima: Criando filhos, Liderando Equipes.

Desejo que possamos ser impactadas e gerarmos mudanças positivas depois dessa interview maravilhosa!!

Ana Golden Square (108 of 119)

Vamos lá conhecer um pouquinho mais sobre a nossa ilustre convidada de hoje:

Psicóloga pela Universidade Metodista de São Paulo.

Executive Coach pelo ICI – Integrated Coaching Institute.

Diversos artigos publicados e entrevistas concedidas a revistas impressas e eletrônicas, bem como a programas de web TV sobre os mais diversos temas relacionados a sua atuação. Foi apresentadora do Programa AGERH pela TVABCD e colunista do site do mesmo canal.

A partir de suas observações e estudos, fala com propriedade sobre o homem e suas relações em seus grupos sociais: família, escola, empresa, comunidade. Ou seja, o Inter e Intra Relacionamento Humano.

Através dessa experiência foi gerada sua obra prima. E nossa querida está nos concedendo uma entrevista impactante de como um sonho se tornou realidade. Principalmente, impactando a vida de outras mulheres e de muitas famílias!!!

01 – Como a experiência da maternidade inspirou a você ver o mundo?

Inspira diariamente. O mundo tem sido cruel com quem está na busca pela preservação da essência e valores familiares. Poder, dinheiro e prazer são os atuais orientadores das tomadas de decisões de mães e pais. Por isso, quando olho para esse mundo, quando percebo as suas armadilhas diárias, ser mãe é a minha grande chance de criar um homem e uma mulher de bem que futuramente mudarão este mundo para melhor. Essa é a minha inspiração diária: manter a essência de amor e uma índole de cuidadora, para criar dois seres humanos seguros e bem embasados para o amanhã.

02 – Quais foram as experiências maternas que te impulsionaram a escrever seu livro?

Primeiro a experiência de te um ser humano 100% dependente de mim. Percebi que como mãe e como gestora de pessoas temos uma mesma missão: Cuidar de pessoas até que elas tenham autonomia e possam desenvolver suas atividades sozinhas. Fui percebendo muitas semelhanças nestes papéis, por exemplo: Saber delegar – meu marido era minha equipe rs, e depois de aprender a fazer o que eu também aprendi dividia as tarefas comigo e com maestria; Reconhecimento – à medida que meus filhos iam desenvolvendo nossas habilidades eu reconhecia positivamente como forma de incentivo; Dar feedback – as artes são inevitáveis, as teimosias, birras também, e para apontar isso para eles eu usava a mesma técnica que utilizamos em nossas empresas com nossa equipe, ou seja, sempre falei sobre a incoerência de seus comportamentos diante das regras e nunca deles como pessoas, nunca rotulando-os. E assim por diante.

03 – Qual foi o impacto na vida dos seus filhos essa experiência do processo de criação e inspiração?

Me tornei mais humilde, percebi que não preciso ser uma Super Heroína, mas sim apenas um Ser Humano, que antes de tudo tolera a si mesma e aos seus próprios erros, e isso foi e é crucial para que eu tolere os erros de meus filhos, me culpe menos e dedique mais tempo e energia no que é de verdade essencial, e não mais no que é secundário. Minha família é meu centro de treinamento rs.

04 – Como seu livro “Criando filhos, liderando equipes” tem impactado a vida das famílias?

De maneira WOW rs. Recebo centenas de comentários de outras mães, de mulheres que desejam ser, de profissionais que tem dúvidas sobre ter ou não filhos, de líderes homens dizendo que se identificam com cada texto. Estamos realmente na Era Share Experience, antes eu era a Psicóloga Consultora de Desenvolvimento Humano e Organizacional, agora sou mais, sou a mesma profissional que se mostra capaz de ouvir e compreender as coisas das almas e corações humanos, pois mostrou num livro que é alguém além de um bocado de técnicas eficazes, é alguém que acerta, mas que também erra, e que procura as oportunidades para aprender com os erros. Gente de verdade falando com gente de verdade! É esse o feedback que recebo. Isso é imensamente gratificante!

05 – Qual a mensagem que desejaria compartilhar com nossos leitores?

Não desistam de suas famílias, muito menos de seus filhos. Há um tempo, em geral no início da maternidade e da paternidade, que ficamos medianos em termos de produtividade em nossas carreiras, e eu te digo: é normal. Há um tempo em que queremos jogar a toalha porque os desafios serão muitos e muito intensos, e eu te digo: vai passar! Se eu pudesse te indicar três valores virtuosos para que você seja um Ser Humano diferente neste mundo “líquido” – parafraseando Bauman – eu lhe indicaria: Fé, Coragem e Amor Verbo. Fé para que persevere ainda que a realidade mostre que seus esforços são em vão. Coragem para olhar para frente e não só para o próprio umbigo, para dizer mais “nós” do que “eu”, pois as ofertas desta sociedade são grandemente sedutoras, mas enganosas na mesma medida. E Amor Verbo, que é mais do que aquele que se sente, é aquele que se vê, não tenha vergonha de manifestar esse amor que há aí em você, vergonha é desamor!

Por fim:

No que é essencial – Unidade

No que é secundário – Liberdade

E em todas as coisas – Amor

 

capa - Filhos e Equipes.inddPara adquirir meu livro, Criando Filhos Liderando Equipe, em sites de livrarias e em algumas físicas.

Pela editora: http://qualitymark.com.br/

Meu face: facebook.com/anapaulapuga.coach

Meu instagram: ana_paula_puga

Meu canal no youtube: https://www.youtube.com/user/anapaulapuga

Meu blog com vários textos de diversos assuntos: https://anapaulapugacoach.wordpress.com/

 

Bjs e até o próximo post!!

Ellen Cristi

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.