Mais da metade das mulheres que param de fumar aumentam o peso, segundo o Ambulatório de Tabagismo do Instituto do Coração (Incor) de São Paulo – 57% delas, para dar o número exato. De acordo com a médica nutróloga Ana Luisa Vilela, especialista em emagrecimento da capital paulista, alguns fatores podem contribuir com o ganho de peso – e é importante saber quais são esses mecanismos para você poder dribla-los. “Fazendo a coisa certa, dá até para emagrecer nesse período”, garante a médica.

O primeiro fator a levar em conta é a mudança no metabolismo já que nicotina acelera a queima de calorias. “Por isso, se continuar comendo como antes, o ganho de peso é quase certo”, alerta Ana Luiza Vilela. O segundo ponto é a melhora do paladar e do olfato, pois a nicotina e outras substâncias tóxicas do cigarro amortecem as papilas gustativas, deixando os alimentos sem sabor. Assim, na ausência dela, a comida volta a ficar apetitosa e cresce o risco de comer além da conta. A terceira questão é a oralidade: o alimento preenche a necessidade de ocupar a boca, recuperando parte do prazer do cigarro. Além disso, há a ansiedade. Quando bate aquela vontade louca de fumar, a pessoa corre para a geladeira. Por isso, para largar de vez o vício sem fazer o ponteiro da balança subir, é essencial seguir algumas estratégias.

1. Prepare a despensa e organize a geladeira
“Dê fim às guloseimas – doces, biscoitos recheados, chocolates e pacotes de salgadinho — já que elas costumam ser os alvos dos ataques compulsivos que podem acontecer nessa fase”, fala a Ana Luiza Vilela. Deixe à mão comidinhas saudáveis para beliscar como algumas frutas cortadas em cubinhos e hortaliças cortadas no formato de palito, como pepino, cenoura e salsão, por exemplo. Dá para mergulhar a pontinha dos vegetais em alguma pasta light, à base de tofu ou iogurte.

2. Não vá ao supermercado com fome
Essa regra vale para a vida – e ainda mais nessa fase em que a ansiedade grita! “O risco de comprar alimentos inadequados e em quantidade maior é muito grande”, alerta Luiz Gonzaga Leite, psicólogo do Hospital Santa Paula, em São Paulo.

3. Estabeleça horários fixos para se alimentar
“Fumantes nem sempre têm uma rotina alimentar porque o cigarro tira a fome, por isso, ter horários fixos para as refeições ajuda a evitar o ganho de peso”, garante a nutróloga. 

4. Mastiga, mastiga, mastiga…
Desenvolva o habito de mastigar os alimentos entre 20 a 25 vezes por bocado. “Mastige bem e com calma. Isso vai, inclusive, melhorar a sua digestão e fazer com que você se sinta saciada mais rapidamente”, explica Luiz Gonzaga Leite.

5. Dê um tempo no café e nos drinques
Alguns alimentos acentuam o sabor e “chamam” o cigarro – o café e as bebidas alcóolicas são os principais deles, de acordo com os especialistas.

6. Aposte nas proteínas sem anular os carboidratos
Inclua ovo, frango, peixe e carnes magras no almoço e jantar e queijos magros  ou de peito de peru nos lanches. “As proteínas aceleram o metabolismo e evitam o comer compulsivo”, esclarece Ana Luiza Vilela. Já os pães e massas integrais em porções moderadas ajudam a manter o equilíbrio emocional.

7. Aumente o consumo de água
A hidratação ajuda a desintoxicar o que ainda resta de nicotina no organismo – que é liberada pela urina. Além disso, com o estômago cheio de líquido, a sensação de fome é menor.

8. Resista aos momentos de tentações recorrendo aos aliados
“Bala e chicletes sem açúcar, canela em pau, lasquinhas de gengibre, cravo e até o habito de escovar mais vezes os dentes ao dia podem ajudar e passar o tempo que os ex-fumantes teriam com o cigarro na boca”, diz Ana Luiza Vilela. A abstinência é normal e esperada, mas a vontade de fumar dura, no máximo, cinco minutos, garantem os especialistas.

9. Mexa-se mais
O exercício libera substâncias que trazem bem-estar, ajudam a compensar a mudança metabólica e reduzem a vontade de acender um cigarro. Se você for sedentário, uma caminhada de meia hora, três vezes por semana, ajuda. Se já treina, aumente a carga ou a intensidade da malhação.

Fonte: Revista Vogue

Tags:Geral

Você sabia que que aquele remedinho guardado na gaveta, sem receita médica ou que parece não ter “nada demais” pode ser algo péssimo para sua cirurgia plástica?

Segundo informações de cirurgiões plásticos, certos tipos de remédios podem ser considerados inimigos da cirurgia plástica e são importantes de se evitar antes de realizar um procedimento.

De olho nos remédios

Remédios como anti-inflamatórios, inibidores de apetite, anticoncepcionais, ácido acetilsalicílico (AAS, aspirina) e até mesmo alguns medicamentos naturais como ginseng e ginkgo biloba, podem ser um risco para a cirurgia plástica por ter a capacidade de aumentar sangramentos e causar uma hemorragia.

Os anticoncepcionais podem ainda apresentar outros riscos, devido às doses de hormônios, que consequentemente alteram as funções do sangue e provocam o risco de trombose, assim como inibidores de apetite podem aumentar o risco de parada cardíaca.

Cuidados pré-operatórios

Estes riscos podem ser evitados quando a paciente segue alguns procedimentos antes de realizar a sua cirurgia plástica. Logo, além de um check-up de exames é preciso:

• Evitar o uso de medicamentos como os citados acima por alguns dias antes da cirurgia (em períodos que variam entre 10 dias e duas semanas do procedimento, dependendo do tipo de medicação). Anticoncepcionais necessitam ser suspensos por, pelo menos, um mês antes da cirurgia para que cessem seus efeitos.

• É necessário acompanhamento médico para se certificar se é seguro suspender um medicamento antes da cirurgia. Por isso, você deve relatar ao seu cirurgião sobre todos os medicamentos e suplementos que utiliza, mesmo os naturais, pois eles podem conter medicações que interfiram com a anestesia e o período pós-operatório. Por isso, não tenha vergonha de contar tudo o que você utiliza ao seu cirurgião.

• Evitar automedicação – mesmo que seja para algo simples. Essa regra é válida sempre, mas é especialmente importante no planejamento pré-operatório.

Outros cuidados importantes

Além destes fatores, outros cuidados que podem fazer toda a diferença na realização da cirurgia plástica são:

• Cuidar da alimentação e evitar alimentos gordurosos.

• Diminuir o consumo de cigarro por um mês antes da cirurgia e por um mês após o procedimento. O ideal seria parar de fumar mas, caso você não pretenda abandonar o cigarro, fumar o mínimo possível por um mês antes da cirurgia melhora a oxigenação do sangue durante a anestesia e, no mês seguinte da cirurgia, ajuda a evitar complicações como necrose de tecidos. Apesar disso, é importante saber que fumantes, especialmente os de longa data, sempre apresentam uma circulação de sangue menos eficiente nos tecidos, o que leva a maiores riscos de atrasos na cicatrização e de necrose de tecidos, podendo prejudicar o resultado final da cirurgia.

• Diminuir o consumo de bebidas alcoólicas, e evitá-las totalmente no dia anterior à cirurgia, além de evitar ou diminuir bastante o consumo de álcool na primeira semana de pós-operatório. Embora não seja verdade o conceito popular de que o álcool corte o efeito dos antibióticos, ele pode provocar mal-estar e gastrite quando utilizado em conjunto com esse tipo de medicamento, pois tanto álcool quanto antibióticos frequentemente irritam o estômago, e isso certamente não ajudará na recuperação pós-operatória.

• Evitar exposição ao sol nas primeiras semanas de pós-operatório, especialmente nas áreas arroxeadas, a fim de evitar manchas na pele em cicatrização.

Importante lembrar

Vale lembrar que nenhuma cirurgia plástica deve ser realizada em clínicas de estética, exceto procedimentos mais simples. Uma cirurgia plástica é uma operação, logo deve ser realizada em um hospital com um profissional experiente, credenciado pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.

Outro ponto importante, mas que poucos lembram, são os cuidados da realização de cirurgia plástica fora do país, especialmente em lugares que não dispõem de uma estrutura adequada para a realização de procedimentos em ambiente seguro. Muitas pacientes têm sido seduzidas pelo preço barato oferecido por clínicas de estética sediadas em países vizinhos, principalmente na Venezuela. Porém, essas pacientes acabam, muitas vezes, sendo submetidas a cirurgias em locais com infraestrutura deficiente, além de não terem acompanhamento adequado no pós-operatório, tendo havido até mesmo casos fatais em decorrência da precariedade do atendimento pós-operatório nessas clínicas. Embora existam hospitais e profissionais internacionais competentes, é mais prudente realizar sua cirurgia no Brasil pois, além de o País ser uma referência mundial em cirurgia plástica de qualidade, existe uma infraestrutura de suporte médico mais adequada e eficiente do que nessas clínicas de estética dos países vizinhos, com a vantagem adicional de haver o atendimento gratuito de emergência do SUS no Brasil, caso seja necessário. Sempre será mais fácil um brasileiro conseguir atendimento médico no Brasil do que em outro país. Leve tudo isso em consideração antes de optar por realizar uma cirurgia fora do Brasil.

Fontes: E.H / Dr. Frederico Vasconcelos / Dream Plastic /
http://motivaimplantes.com.br

Tags:Geral

A gestação e o ciclo gravídico puerperal são notoriamente um período de grandes mudanças no corpo das mulheres. Dentre tais mudanças a mais evidente com certeza é o crescimento da barriga.
As transformações estão visando principalmente, garantir a formação e a manutenção da vida que está se desenvolvendo intra-útero, e todos os cuidados possíveis devem ser tomados. Um bom acompanhamento pré-natal se define como indispensável.

O corpo pode passar a mudar muito rápido, em um ritmo que às vezes o psiquismo feminino não acompanha. Onde estava aquela cintura que entrava naquela saia semana passada? Às vezes ela some mesmo! Mas nem por isso os cuidados com o corpo têm de ser suspensos. Gestantes podem fazer exercícios físicos como: natação, ioga, hidroginástica e alongamento. Ressaltando que se dedicar a uma atividade física específica para mulheres grávidas, pode ser uma ótima oportunidade para trocar experiências com outras futuras mães.

É bastante comum escutar que mulheres começam a ficar seguras e satisfeitas por conta de se sentirem belas e radiantes com seus bebês na barriga. O outro lado também existe, gestantes podem se sentir inseguras pois não se identificam com aquela forma corporal temporária. Ou seja, todo processo gestacional é único, e toda mulher deve passar por ele a sua maneira!

A angústia em conquistar o antigo corpo de volta atinge grande parte das puérperas, se tornar mãe traz dificuldades e desafios, não é fácil pra todas voltar a caber naquele jeans tamanho 38 pouco tempo depois do parto. As intervenções estéticas podem ser usadas em seu favor durante este tempo. Se cerque de bons profissionais e logo, você poderá voltar a se sentir confortável neste corpo que é só seu!!

Beijos e até logo,
Luiza.

As temíveis estrias podem surgir ainda na transição para adolescência pelo estirão do crescimento ou pelo desenvolvimento repentino das mamas (por exemplo), porém seu surgimento não se limita apenas a esse período, podendo surgir também em processo de ganho de peso e gestação.

A hidratação ainda é o melhor método para prevenção além de controle de peso. Porém, a predisposição genética ainda é a maior responsável.

Mas, uma vez instalada, a estria pode ser tratada e amenizada com técnicas cada vez mais estudadas…

⚜Microagulhamento com Drug delivery (substâncias próprias para estrias).
⚜Laser ablativos.
⚜Peelings químicos.
⚜Home care ( tratamento domiciliar orientado pelo seu Dermatologista com Ácido).

Mas, NÃO EXISTE MILAGRE!!!

Por isso não se deixe levar por RESULTADOS DE ANTES E DEPOIS em apenas 1 sessão !!! O resultado é individual 😉

Consulte sempre seu dermatologista para um tratamento responsável!!!

Tags:Geral

Essa é uma cirurgia desejada por diversas mulheres e muitas vezes lembrada no momento de se maquiar!

BLEFAROPLASTIA, VOCÊ TEM INDICAÇÃO PARA ESTE PROCEDIMENTO?

Blefaroplastia é a cirurgia plástica que melhora o aspecto das pálpebras superiores e inferiores, eliminando bolsas de gordura, rugas, flacidez e com isso rejuvenescendo a região em torno dos olhos.

Indicações:

A cirurgia plástica costuma ser procurada por pacientes com mais de 30 anos. Ela está indicada para quem tem excesso e/ou flacidez de pele nas pálpebras, para quem tem bolsas de gordura na pálpebra inferior e para quem tem ptose (queda da pálpebra por causas musculares) ou pseudoptose palpebral (queda da pálpebra em função do excesso de pele).

A cirurgia também pode ser feita para remoção de xantelasmas (pequenas bolinhas de colesterol que se formam, principalmente, nas pálpebras), além de rugas na pálpebra inferior.

É realizada anestesia local com sedação. A cirurgia dura por volta de 40 minutos a uma hora e meia.

Em casos de ptose palpebral (queda da pálpebra por causas musculares) se corrige a musculatura orbicular

Cuidados antes da cirurgia :

É necessário jejum de oito horas antes da cirurgia e realização de exames como hemograma (o exame de sangue), coagulograma (análise da coagulação do sangue). Medicações anticoagulantes, como a aspirina, devem ser evitados um mês antes da cirurgia. Também é recomendado cessar o tabagismo com pelo menos um mês de antecedência à cirurgia plástica.

Cicatrização :

A cirurgia deixa uma cicatriz muito discreta, pois fica localizada exatamente na dobra da pálpebra superior (porção que fica escondida quando o olho está aberto) e bem embaixo dos cílios inferiores, no caso da pálpebra de baixo.

Óculos escuros devem ser usados até que a cicatrização esteja completa, cerca de 30 dias. A ação do sol pode dificultar a cicatrização e deixar a pele da região manchada.

Para dormir :

O paciente deve dormir de barriga para cima por duas semanas, depois disso é possível dormir de lado. Uso de lentes de contato Quem usa lentes deve evitá-las nos primeiros 10 dias.

Inchaço:

Compressas geladas feitas com água e gaze ou pano limpos ajudam a reduzir o inchaço da região.

Resultados

Na primeira semana já é possível ver os resultados, mas eles se tornam mais evidentes depois que diminui o inchaço e só estarão completos depois de seis meses.

Espero ter esclarecido algumas duvidas. Qualquer coisa entrar em contato com meu consultório ou inbox / comentários.

Tags:Geral

A simpática novelinha de época cujo enredo explora ao máximo as venturas e agruras da linda e sorrateira vilã, especialista nos estratagemas de se apossar da fortuna da tia antes do passamento desta, faz com que os olhos dos telespectadores se encham de lágrimas, levando a audiência da emissora a alcançar o pico máximo daquele horário.

Herança é assunto que dá “ibope”, instigando os mais íntimos e adormecidos sentimentos do ser humano, tanto para o bem quanto para o mal.

Independente do grau de escolaridade, do nível de conhecimento ou ignorância da legislação pertinente, do quão simplório ou refinado é o cidadão, é muito pouco provável que alguém desconheça o seu significado: a transmissão do patrimônio de uma pessoa que morreu a seus sucessores legais ou aos indicados pelo de cujus através de testamento.

O que tem se notado, no entanto, é que cada vez mais os filhos têm demonstrado irascível resistência em aceitar que o patrimônio de seus pais pertença apenas a estes de uma forma única e exclusiva, e ainda esperneiam bastante, reivindicando para si o direito de bem dispor daquilo que apenas lhes será devido após o falecimento dos genitores.

Acostumados a uma criação permissiva e lisonjeira, responsável por fazê-los acreditar que são o “máximo”, que podem tudo, que tudo lhes pertences, estes mimados futuros herdeiros viciam-se à boa vida e acostumam-se a receber qualquer coisa de “mão beijada”, sem despender o menor esforço e, sobretudo, sem se interessar em saber como os recursos vêm parar em seu precioso colo.

Não se importam com o fato de os pais se esfalfarem de tanto trabalhar para prover seu conforto, não dão a mínima se eles se privam de desejos ou da realização de sonhos para privilegiar seus caprichos e jamais valorizam o empenho desses pais super protetores que, por sua vez, têm pavor que seus filhotes amados tropecem em dificuldades, que estejam sujeitos a frustrações e seguem atendendo todas as suas solicitações, sanando-as de imediato, sem demora.

E quando essas crianças ultrapassam a fase da adolescência tardia, sendo convidadas a sair de seus palácios despidos dos trajes reais e desprovidos do consolidado aparato de mordomias e benesses para então construir seu próprio reino, enfrentando exércitos inimigos a fim de conquistarem seus próprios territórios, aí…bem, aí, a “coisa” complica.

Alguns conseguem a honrosa façanha de fazer bom uso dos escudos protetores construídos por seus e os empunham contra as adversidades, abrindo caminho pelos tortuosos rumos do destino, exaltando os ensinamentos recebidos e comemorando cada conquista.

Outros, os tais herdeiros de “de cujus” vivos, entretanto, arredios às responsabilidades, enganadores e descompromissados, sentem-se traídos e raivosos quando cobrados, adotando condutas tirânicas e sanguessugas, que variam da rotineira chantagem emocional até os não tão raros casos da mais cruel perversidade contra os genitores, como vez ou outra, cenas impensáveis estampam as manchetes, chocando até o mais insensível dos mortais.

Na tal novelinha de época, tudo leva a crer que o autor destinará para a sobrinha vilã um enorme castigo pelo exercício de sua maldade e, claro, ela aprenderá a lição, a bondosa tia a perdoará e lágrimas de felicidade substituirão as de sofrimento.

Na vida real, é bom mantermos nosso próprio roteiro sob rédeas curtas, segurando-o com delicada firmeza em nossas mãos, para não corrermos o risco de perder a chance de um final feliz no último capítulo.

Téia Camargo