Carnaval é aquela época que quanto mais brilho, melhor!

As estrelinhas e os brilhos estão sempre em alta e promovem muito estilo e cor para quem quer festejar sem muitas produções. Afinal, basta um pouquinho de aplique nas bochechas ou nas pálpebras e pronto! O look já estará super bonito e pronto para desfilar.

Esse ano, além do glitter (nosso queridinho), a pedraria é uma das maiores tendências para a folia neste ano de 2019.

As pedras adesivas são super fáceis de aplicar e vão levar o seu look a outro nível.

As maquiagens temáticas tipo unicórnio, sereia ou gatinho são ótimas pedidas para quem gosta de montar uma produção um pouco mais elaborada e criativa!

Fuja da mesmice e aposte em looks mais despojados e diferenciados, e fique ainda mais linda e preparada para curtir o carnaval mais incrível de sua vida.

Com as cores certas e com um pouquinho de brilho, certamente o resultado será incrível. E assim você poderá ficar mais linda, de uma forma simples e prática.

Afinal, quem disse que precisa ser super elaborada e difícil a maquiagem, para ser bonita?

Mas atenção: infelizmente, o acessório mais amado da folia é também um grande vilão do meio ambiente. O glitter é feito de microplásticos, ou seja, partículas minúsculas de plástico e outras coisinhas mais que não se decompõem na natureza. Essas substâncias são tóxicas e acabam poluindo rios e oceanos.

Por isso, dê preferência ao glitter biodegradável, natural ou vegano, que além de produzir o mesmo efeito, ainda ajuda a proteger o planeta e está super em alta!

Ah, e não esqueça do protetor solar!

Bom carnaval!

Tags:Geral

Carnaval chegando, todo mundo animado para pular em bloco ou viajar pra praia e piscina! É a época do ano de extravasar e curtir muito, mas como cuidar da sua pele?

Aquela recomendação que todos já sabem é a utilização do filtro solar. Para usar corretamente ele deve ser aplicado 30 minutos antes da exposição solar e na quantidade correta. Para o rosto e pescoço devemos aplicar uma colher de chá de filtro solar, já para o tronco são duas colheres de chá, para cada braço uma colher de chá, e duas colheres de chá para cada perna. O produto deve ser colocado na mão e depois aplicado e espalhado no corpo.

Reaplicar o produto de duas em duas horas e também após entrar na água, mesmo que o filtro seja resistente a água.

Um filtro solar adequado tem proteção contra os raios UVA e UVB e o fator de proteção solar (FPS) mínimo de 15. O FPS significa o tempo de proteção que o filtro confere a pele. Quando a pele é exposta ao sol ela fica vermelha e queima, o filtro 15 por exemplo, demora 15 vezes mais tempo para esta pele ficar vermelha do que ficaria sem o filtro solar. Então faz muita diferença o valor do FPS e eles não são iguais. Quanto mais branca for a pele maior a necessidade de um número alto de FPS para proteger adequadamente.

Além do filtro solar é importante que também utilize métodos de barreira contra o sol como chapéus, roupas que cubram a pele, sombrinhas e guarda sol. Há tecidos especiais que tem proteção solar que podem ser lavados e ainda assim mantém a proteção contra o sol. São uma excelente escolha para atividades ao ar livre e para pessoas que não tem o hábito de replicar o filtro solar.

Há tantas opções de textura de filtro solar, tecidos com proteção solar que não tem desculpa para se descuidar no carnaval.

Nessa época do ano também há muitos mosquitos e o uso de repelentes com DEET junto com filtro solar aumenta a sua absorção sistêmica seis vezes podendo causar intoxicação. Então prefira outros tipos de repelente, como o de icaridina, quando for usar junto com filtro solar.

Cuide-se e tenha um ótimo carnaval!

Tags:Geral

Hoje o dia amanheceu cinzento, garoa fina, ventinho gelado e aí pronto, a intenção de começar a ginástica foi por terra e mais uma hora de cama quentinha ocuparam seu horário.

E amanhã? Que outros motivos ou desculpas adiarão os planos por uma vida mais saudável, uns quilinhos a menos ou uma significativa melhora das taxas de glicose? Acontece isso com você? Não se envergonhe! Não se culpe! Todos nós somos assim.

Isaac Newton, o pai da física moderna, nos deixou como ensinamento que um objeto parado tende a permanecer parado, a menos que seja compelido a modificar esse estado pela ação de forças impressas sobre ele.

Com o ser humano acontece a mesma coisa. O princípio do menor esforço é nossa tendência natural e convenhamos que curtir uma preguicinha, dedicar-se a um momento de total ociosidade, ficar “de bobeira”, faz um bem danado, não faz?

Então, do que precisamos para colocar um limite nessa indolência traiçoeira que não por acaso faz parte da lista dos pecados capitais?

“Sir” Newton deu a dica, mas vamos facilitar as coisas e resumir numa só expressão o que a teoria do ilustre britânico pode fazer a nosso favor: MEXA-SE!

Escolha uma atividade física com qual se identifique, que seja apropriada e conforme avaliação e recomendação médica e comece hoje, agora, imediatamente. Crie o hábito de praticá-la com regularidade e aos poucos aquilo que era penoso vai se tornando rotineiro e mais prazeroso.

Se precisar de motivação, convide um (a) amigo (a), um (a) vizinho (a), convoque o (a) companheiro (a) ou crie um grupo numa rede social. Hidrate-se, respire corretamente, use protetor solar ao ar livre, alimente-se de forma saudável e respeite seus limites.

E aí, todo o esforço de sua determinação em melhorar o condicionamento físico, o humor e a saúde pode e deve ser recompensado e nada melhor para isso do que um momento de deliciosa preguiça, mais do que justa e merecida.

Tags:Geral

Em alta nos consultórios dermatológicos, os bioestimuladores de colágeno são os queridinhos da vez na busca por uma pele viçosa e com menos flacidez.

Pele com mais firmeza, textura e brilho na medida certa são os maiores desejos da maioria das mulheres quando se sentam na cadeira do dermatologista. Em resposta, os médicos vêm apostando nos chamados bioestimuladores, ativos que estimulam a produção do colágeno e promovem um efeito rejuvenescedor, com resultado natural e progressivo.

Segundo Karla Assed, dermatologista do Rio de Janeiro, os mais utilizados são a hidroxiapatita de cálcio, o ácido polilático e a policaprolactona, mais conhecidos pelos nomes comerciais: Radiesse, Sculptra e Ellansé, respectivamente.

“Os bioestimuladores, de um modo geral, provocam uma leve reação inflamatória na derme, fazendo com que os nossos fibroblastos (células responsáveis pela produção de colágeno) se ativem e produzam novas fibras que dão sustentação à pele”, explica Jardis Volpe, dermatologista de São Paulo. Alguns agem também como preenchedores, como é o caso do Ellansé e do Radiesse, que, dependendo da concentração e do número de sessões dão volume à área tratada. “Eles podem, em alguns casos, substituir os preenchedores clássicos”, diz Gustavo Limongi, dermatologista de São Paulo.

A aplicação é semelhante a do ácido hialurônico. “O produto é distribuído em alguns pontos da face com uma micro cânula bem fina, para minimizar a probabilidade de equimoses (roxinhos) e edemas (inchaços)”, explica a dermatologista carioca Bruna Bravo. Dá para ir trabalhar no mesmo dia, mas é recomendado não fazer esforço físico nas 24 horas seguintes, já que a área fica sensível e dolorida. “Evite também piscina e sauna, que trazem risco de contaminação”, fala a médica, que indica três sessões com intervalos mensais.

O estímulo do colágeno acontece por até 18 meses após a aplicação, mas o resultado não é igual para todos. “Depende da capacidade individual de produzir colágeno, que pode ser influenciada pela idade, tipo de pele e estilo de vida, que inclui tabagismo, exposição solar intensa e atividade física de alta performance, entre outros”, informa Bruna. A seguir, os especialistas ouvidos aqui detalham um pouco mais cada um deles.

RADIESSE
Além do efeito de preenchimento imediato, a hidroxiapatita de cálcio estimula a produção natural de colágeno e age na recuperação, firmeza e elasticidade da pele. Indicado para amenizar rugas e marcas de expressão moderadas e graves no rosto. Nas mãos, trata a perda de volume disfarçando os tendões e minimizando a flacidez da pele. Recomendado também para pescoço, colo, interno de braço e joelhos – é especialmente benéfico para melhor o aspecto “craquelado” desta área. Associado ao ultrassom microfocado para contorno do rosto, papada, pescoço e braço, reforça o combate à flacidez. Pode provocar hematomas. Preço médio do frasco: R$2.700 (suficiente para áreas pequenas).

SCULPTRA
Ao estimular o colágeno, o ácido polilático melhora o contorno facial e corporal e atenua sulcos, rugas e marcas de expressão. Não é um preenchedor, mas pode resultar em um leve volume, mais natural. No rosto, é indicado para áreas de pouca mobilidade (têmpora, na região das orelhas) para dar sustentação, e contraindicado na região dos olhos e boca. No corpo, trata celulite e flacidez dos braços, coxas, glúteos e abdômen. O paciente deve fazer massagens depois da aplicação para evitar micronódulos. Otimiza o resultado de lasers e ultrassons multifocados em protocolos contra a flacidez. Preço médio do frasco: R$ 3 mil (suficiente para áreas maiores se comparado ao Radiesse).

ELLANSÉ
Melhora a textura da pele, deixando-a firme, sedosa e com aparência saudável. Além disso, a policaprolactona ajuda a recuperar o volume perdido devido à diminuição natural da gordura do rosto (com exceção dos lábios e pálpebras, onde não deve ser aplicada). Assim, é especialmente indicada para peles mais maduras ou de quem passou por processo de emagrecimento severo. Serve também para aplicações ósseas criando pontos de sustentação. Pode dar 20 a 30% mais volume do que o gel de ácido hialurônico, por isso, é necessário cuidado na aplicação. Não vem com anestésico, o que deixa a aplicação mais desconfortável e é possível que surjam hematomas. É empregado em protocolos com lasers e ultrassom microfocado, reforçando a produção de colágeno. Preço médio do frasco: R$2.500 (suficiente para áreas pequenas).

 Fonte: Revista Vogue

Tags:Geral

Outro dia entrei num desses mercadinhos sofisticados, com rotisserie, café bristô, prateleiras de frutas exóticas, clientela descolada, funcionários uniformizados. Tudo chique, bacana e convidativo.

Peguei alguns produtos, me dirigi ao caixa e três ou quatro clientes depois chegou minha vez. A funcionária, cabeça baixa, resmungou um bom-dia, puxou as mercadorias e passou-as no leitor até terminar de registrar.

– Cheque, dinheiro ou cartão?

– Bom dia! Tudo bem com você? – respondi, com um sorriso aberto e franco.

A jovem levantou a cabeça e, para minha surpresa, começou a rir. Rir mesmo, não sorrir.

Cruzei meus braços, dei uma espiadinha para trás, me deparei com o cliente seguinte bufando irritado, me virei de volta e a moça, entre um pigarro e uma fungada, tentava se desculpar.

– Posso saber o motivo da sua risada? – questionei-a em voz baixa.

– Desculpe, mas é que eu achei tão engraçado seu cumprimento que não me aguentei.

– O que foi que eu falei de tão engraçado?

– Nada! É que as pessoas nem ao menos respondem meu bom-dia, que dirá perguntar como eu vou. Daí, eu achei divertido. Ai, moça, desculpa tá? Mas eu não posso ficar perdendo tempo conversando e o homem aí atrás já tá brabo.

Com rapidez, a jovem jogou tudo de qualquer maneira na sacola plástica, repetindo a frase inicial, desta vez me olhando nos olhos:

– Cheque, dinheiro ou cartão?

Paguei, agradeci, me despedi, ganhei uma piscadela de brinde ao deixar o caixa da mocinha, dei alguns passos em direção à porta observando o entra e sai de gente, pensando em como a praticidade, a urgência, o egoísmo e a presunção andam distanciando as pessoas das boas maneiras e dos princípios básicos de educação.

Vivemos tempos difíceis com tanta violência nos espreitando, trânsito caótico, corrupção desenfreada, tragédias das mais diversas acometendo conhecidos, parentes e a nós mesmos e andamos muito carentes de boas novas, de afetuosidade legítima, de saudações corteses.

Usar expressões gentis nas relações humanas do cotidiano não dói, não custa caro, não engorda e o costume rotineiro de um como vai, bom dia, até logo, obrigada, por favor, é de uma delicadeza tão simples e ao mesmo tempo de uma consideração imensurável no trato com o outro, com o coletivo, que fica difícil entendermos como e quando foi que as deixamos cair em desuso.

E no meio da tarde de um dia qualquer, ainda que cheia de compromissos e sem tempo nem para “me coçar”, fiquei por ali, pedi um café e enquanto esperava que ele esfriasse um pouco, me permiti uns minutos de reflexão.

Pode ser ingenuidade, ou talvez eu esteja ultrapassada, mas penso que essas expressões básicas que norteiam a convivência em sociedade podem produzir verdadeiras maravilhas, abrindo portas, escancarando boa vontade, espalhando bom humor, promovendo leveza na alma e tornando o dia menos nublado e mais colorido.

Cortesia, tato e gentileza possuem certo efeito mágico, capaz de neutralizar as mazelas do nosso entorno através da amabilidade, da alegria e da simpatia.

Então, pensei, por que não saímos por aí, todas nós, cumprimentando, elogiando, agradecendo, dando ou pedindo licença, esbanjando sorrisos com os lábios e com o olhar, distribuindo boa vontade?

Que tal testarmos se isso, de fato, faz alguma diferença?

E se depois vocês quiserem me contar como foi a experiência, estarei por aqui, ansiosa para saber.

Tags:Geral