Olá, meninas!

O inverno está chegando e uma peça que não pode faltar no armário é a legging!

Vou falar prá vocês sobre a legging de couro, que é chique, fashion e muito descolada!

Pode compor vários looks, desde os mais despojados até os mais arrumados para a noite.

O ideal é que sejam inteiras de couro (ou material que imite) e não apenas na parte da frente ou de trás, pois assim seriam mais “ricas”.

Devem ser foscas, e bem ajustadas ao corpo, com material nem muito fino nem muito grosso, sendo que o mais importante mesmo é o acabamento.

Pode ser usada com tênis, sendo que o comprimento da calça deve ir até o ossinho do tornozelo, ou ainda emendando com bota, em geral de couro também, mas nada impede que seja de camurça. Mas atenção, apenas as leggins de couro ou de paetês aceitam salto alto!

Regras básicas: couro bom e bum bum SEMPRE coberto! Não esqueça!

leather-leggins-05 leather-leggins-06 leather-leggins-01

leather-leggins-03leather-leggins-02

Tags:Geral Moda

16
maio

Postado por:

“Se já era difícil captar a atenção das pessoas quando as tecnologias digitais não existiam, agora ficou pior.

Um estudo desenvolvido pela Microsoft revelou que o tempo médio de atenção das pessoas caiu de 12 segundos em 2000 para oito em 2013. A queda no nível de concentração coloca os humanos abaixo até mesmo de um peixinho dourado, que é capaz de se manter atento por até nove segundos.

Além da perda nos níveis de atenção, o estudo identificou que o cérebro desenvolveu uma capacidade muito maior de realizar várias tarefas ao mesmo tempo.

Segundo a Microsoft, as transformações são fruto da habilidade do cérebro de se adaptar a novas condições. A queda nos níveis de atenção seria então uma consequência da evolução para a internet móvel.”

Fonte: site O Globo.com
Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/sociedade/tecnologia/tempo-de-concentracao-das-pessoas-na-era-digital-menor-que-de-um-peixe-16153807#ixzz3aEzjrxYM
© 1996 – 2015.

Desejo essa semana compartilhar com vocês, ainda sobre nossa série de Reconstrução da Auto Imagem, uma experiência de um querido amigo que se superou e se permitiu reeditar sua auto imagem e reconstruir sua autoestima.

Nosso querido Tiago Coelho tem desenvolvido um trabalho na área de palestras motivacionais, e sua história tem auxiliado alcançar pessoas e motivá-las, através de seus canais nas redes sociais. Ele estará compartilhando um pouco da sua experiência conosco.

1 – Qual foi o momento em que você teve o click?

Thiago: Fui ao médico para ver a possibilidade de fazer uma cirurgia bariátrica, quando o médico me disse que obesidade era uma doença eu pensei: “Deus pode me curar da obesidade, Ele já me curou de câncer.” Resolvi então fazer a minha parte para chegar ao meu objetivo.

2 – O que mais estava te incomodando?

Thiago: Ter que comprar roupas em loja de gordinho. Eu usava a roupa que cabia e não a roupa que eu queria usar.

3 – Como era se olhar no espelho?

Thiago: Chegou ao ponto que mesmo sem perceber eu evitava o espelho.

4 – O que lhe motivou a continuar e perseguir seu sonho?

Thiago: A motivação me fez começar, no primeiro dia de academia eu já sabia onde eu queria chegar.

A disciplina está me fazendo criar o hábito para continuar e chegar ao meu objetivo.

5 – Qual foi o efeito dessa mudança na forma como você se enxerga hoje?

Thiago: Hoje eu tenho disposição para chegar aos meus objetivos custe o que custar. Se você me disser que é impossível vou provar que você está errado.

Tudo é possível para aquele que crê!

Hoje, depois de eliminar 47 quilos sem cirurgia ou remédios para emagrecer, tenho ajudado muitas pessoas que como eu precisam perder peso e viver mais.

IMG_4417

Fanpage no Facebook EU ESCOLHI ME CUIDAR

Instagram EU ESCOLHI ME CUIDAR

Twitter ESCOLHI ME CUIDAR

Youtube EU ESCOLHI ME CUIDAR

Espero que esse relato seja uma grande ferramenta para que possamos ver que tudo é possível e quando acreditamos em nós mesmos o céu é o limite para os nossos sonhos!!!!

Beijos e até o próximo post!!

Ellen Cristi

O que falar sobre a norte americana dona do reality show KEEPING UP WITH THE KARDASHIANS que está redefinindo o conceito de “Body Bello”?!

O efeito KIM está sendo tão forte que até as marcas francesas BALMAIN e GIVENCHY fizeram campanhas com a musa inspiradora. Inclusive o seu vestido de casamento feito sob medida por Riccardo Tisci diretor criativo da Givenchy.

Esse efeito KIM desembarcou por terras brasileiras com o lançamento da coleção KIM KARDASHIAN WEST para C&A essa semana, sua mais nova parceria.

Kim_01

O conceito da coleção visa valorizar as curvas e enaltecer o feminino de cada mulher, onde as peças são bem ajustadas ao corpo, com cores monocromáticas e estampas em preto e branco e não esquecendo, claro, da marca oficial de Kim que é o comprimento midi para valorizar ainda mais as curvas das brasileiras.

Beijos e até logo!!

Ellen Cristi

Hum… Ouvir esta expressão de alguém com mais de dez anos de idade faz pensar: será que foi mesmo sem querer ou se trata de um daqueles bordões do personagem Chaves?

Um “sem querer querendo”, quase proposital, que poderia ser evitado com um pouco mais de cuidado, respeito e atenção?

Claro que imprevistos acontecem, situações que fogem ao nosso controle ocorrem com frequência e também ninguém duvida de que vivemos sobrecarregados, estressados e sem tempo para nada, que dirá para refletir, repensar e contar até três antes de sair por aí.

Mas… Sempre tem um “mas”, não é verdade? Todos os nossos atos e palavras geram consequências e o tal do “sem querer” na maioria das vezes, estilhaça, arranha ou despedaça. Coisas e pessoas.

Quantas vezes a teimosia, a insistência, os momentos de pura irracionalidade, a arrogância ou a sede de vingança nos trazem prejuízos que vão desde pequenos estragos em bens materiais até a perda absoluta e irreparável do mais puro e sincero sentimento?

Diz o Direito que assumimos a responsabilidade pelos danos causados independente de culpa, à exceção dos motivos de força maior ou caso fortuito.

E a nossa consciência? O que ela nos diz?

Tomemos o exemplo do motorista que sendo sabedor da proibição de dirigir após ingerir bebida alcoólica, sai por aí embriagado ao volante, seguro de si, assumindo o risco de matar ou morrer. Se nada acontece, tudo bem, mas e se ele provoca um acidente, uma tragédia?  Foi sem querer? É só pedir uma desculpinha e tudo se resolve?

E aquele casal que vive se magoando e se desculpando porque um é muito desligado e o outro supersensível, que um não percebe o que provocou e que o outro não faz por onde o parceiro enxergar sua distração? Será que não vale a pena uma conversinha franca entre eles, antes que o descaso e o descontentamento virem rotina e azedem a relação?

Para todo e qualquer “sem querer” devemos nos desculpar? Podemos perdoar?

Depende, não é verdade? Compete a cada um reconhecer os erros e tropeços com maturidade e avaliar o quanto de dissabor é capaz de relevar.

O que seria bom, de verdade, é que antes de pedir desculpa ou de carregar um fardo pesado de remorso, quem se importa com o outro de verdade, deveria mesmo era pensar duas vezes antes de magoar.

12
maio

Postado por:

Sabe-se muito pouco sobre o que seria o ponto G. Acredita-se que ele é uma zona erógena do corpo da mulher, localizado na vagina, um tesouro a ser descoberto, basicamente, pois quando ele é achado promete trazer enorme prazer durante a relação sexual, orgasmos vaginais de outro mundo, e um título a mulher que o acha, pois ela geralmente diz: “eu sei onde é e conheço meu ponto G”.

Revistas femininas e publicações de sexologia encorajam a busca pelo ponto e sua estimulação.

Porém encontrei recentemente um estudo publicado em 2010 que faz uma afirmação sobre o assunto. A de que o ponto G pode ser somente um mito, uma ilusão. A pesquisa foi realizada com 1.800 irmãs gêmeas, e supôs que se uma delas tivesse o ponto G, a outra também teria, já que gêmeos possuem genes iguais. O estudo foi concluído e confirmou que tal padrão não se constitui, de maneira lógica. Logo, o ponto G seria uma zona erógena, sim, mas uma zona erógena subjetiva.

Segundo resenha publicada em 2014 na revista Clinical Anatomy o ponto G não representaria a realidade, ele não existe do ponto de vista orgânico. Polêmica? Talvez sim.

E todas as mulheres que juram já ter se encontrado com o ponto e tirado proveito dele? Teria sido um encontro psicológico? O fato é que acredito que muitas mulheres se frustram tentando achar algo que pode nem ao menos existir anatomicamente.

Conheça o seu corpo, e ponto! Explore ele com um parceiro que você confia e tem intimidade. O resultado será sempre maravilhoso, independente de que pontos de prazer vocês encontrem pelo caminho…

O que vocês acharam dessa discussão?

Beijos e até logo,

Luiza