Do ponto de vista psicológico, a menopausa é uma fase no ciclo feminino muito particular, que pode ser um momento de crise e de desequilíbrio hormonal, já que corresponde ao final da vida reprodutora de uma mulher. Pois para além do período de onde não se pode mais gerar filhos, constitui-se uma nova etapa no organismo, onde se podem experimentar inúmeras transformações derivadas do término da função ovárica. E o que atinge o nosso corpo repercute em nossas mentes, podendo se desdobrar através de questões em nossa saúde psíquica.

Quando os sinais de fecundidade começam a desaparecer podemos observar, em certas mulheres, sofrimento e angústia em se valorizar e se validar para o outro.

Como se o que houvesse de “útil” nelas fosse diretamente ligado à fertilidade que outrora tinham. Ideais arcaicos como esse desviam a atenção de um conceito muito importante, a fertilidade simbólica.

Uma mulher tem muito mais coisas a fazer para além de cuidar de filhos e realizar tarefas domésticas. Trabalhamos e produzimos, e mesmo muitas de nós que cuidam da prole e da casa realizam estes afazeres de maneira múltipla e dinâmica. A produtividade pode ser enfatizada pelo seu rendimento no trabalho (qualquer trabalho!) e o sucesso que advém de suas empreitadas e tentativas. Você pode atingir seus objetivos profissionais mais tarde, sempre gosto de me lembrar que Jessica Tandy só ganhou seu Oscar com 80 anos por “Conduzindo Miss Daisy”, ás vezes o reconhecimento chega mais tarde…

O desejo libidinal não esmorece com a chegada da menopausa, como muitas acreditam!

O culto a juventude que nossa sociedade costuma fazer, cheio de alusões a influências socioculturais já batidas, só faz implicar perturbações que não se aplicam ao nosso gênero. As mudanças físicas do climatério são parte de um processo natural do ciclo vital e do corpo, o envelhecimento.

Mas se você se sente desmotivada, desinteressada sexualmente, insone, entristecida, e indiferente com relação a atividades comuns para você, a menopausa pode estar trazendo com ela sintomas depressivos. Pode não se caracterizar como uma autêntica depressão, e até é controversa essa discussão, pois esta instabilidade emocional pode ser explicada através da conexão de neurotransmissores e suas novas atividades no sistema nervoso central. Não há nada de conclusivo neste ponto, mas tratamentos hormonais e psicoterapia podem lhe ajudar se esse for o caso.

Estamos aqui para debater sobre esse e outros temas!

Beijos e até logo, Luiza.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.